sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Teste rápido detecta nível de álcool no leite materno

Produto vendido nos Estados Unidos funciona como “bafômetro” para quem está amamentando

(Foto: Thinkstock)
Houve um tempo em que as mulheres eram aconselhadas a beber cerveja preta para aumentar a produção de leite materno. Hoje sabemos que não é por aí. Como o álcool passa da corrente sanguínea diretamente para o leite, há risco de prejudicar o bebê desta forma. Mas isso, é claro, vai depender do volume consumido, uma vez que, depois de algumas horas, ele pode ser filtrado e eliminado do organismo. Por isso, à medida que o bebê cresce, boa parte dos especialistas libera um drinque para a mãe, vez ou outra, a partir do sexto mês de vida dele. Ainda assim, com receio de fazer mal ao filho, muitas mulheres preferem ordenhar e descartar o leite produzido depois da ingestão de álcool. Pensando nisso, uma empresa norte-americana desenvolveu um produto que mede o nível da substância no leite materno, o Milkscreen.

Funciona assim: em uma tira com papel absorvente, a mãe lactante deve pingar algumas gotas de leite materno e aguardar dois minutos, como se fosse um exame de gravidez. Depois deste intervalo, aparece o resultado. Se o papel continuar claro, o leite está aprovado. Se o papel escurecer, a mãe deve aguardar para amamentar novamente. Para a enfermeira obstétrica Silvia Briani, que é consultora de amamentação, o aleitamento não impede que a mãe consuma bebida alcoólica eventualmente, desde que com bom senso e fazendo intervalos entre as mamadas. “Assim como a cafeína e outras substâncias potencialmente prejudiciais ao bebê, tudo vai depender da quantidade ingerida. De uma hora a uma hora e meia depois do consumo, o organismo tende a metabolizar a substância. Desde que a mãe espere este intervalo, não há necessidade de ordenhar o leite. Pode amamentar normalmente”, explica.

Ainda não vendido no Brasil, o Milkscreen tem feito sucesso entre as grávidas que fazem enxoval no exterior, de acordo com a personal shopper Taluana Adjuto, da consultoria Mamãe em Miami. “Não faz parte da lista de enxoval básica, mas costumo indicá-lo àquelas que gostam de beber. Muitas já ouviram falar do produto por indicação de amigas, inclusive”, conta. Custa em torno de 20 dólares (uma caixa com 20 tiras) e pode ser comprado também pela internet, no site do fabricante.


Fonte: http://revistacrescer.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário