sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Como economizar no chá de bebê: 11 dicas infalíveis


Você precisa economizar mas não quer abrir mão do chá de bebê? Sem problemas! É possível comemorar a chegada do seu filho sem gastar muito e, ainda assim, fazer uma festa linda e com muito bom gosto.  Confira as nossas dicas a seguir:

1. Menos é mais
Se a ordem é economizar, não pense em dar uma festa para 300 pessoas. Tente restringir o número de convidados e, assim, você automaticamente gastará menos com os alimentos e bebidas que serão servidos. Mantenha na lista apenas os familiares e amigos mais próximos.

2. Convite online
Por que gastar com convites de papel se é possível chamar todo mundo virtualmente? Não faltam opções para isso. Você pode criar um grupo no Whastapp ou um evento no Facebook. Outra ideia é criar a arte do convite em sites especializados, como o gerador gratuito do Canva. Fica lindo e você pode enviar pelas redes sociais ou por email.

3. Faça você mesma
Coloque a mão na massa e envolva os familiares também (se eles tiverem disponibilidade e vontade de ajudar, claro). Tudo o que você puder fazer por conta própria – das comidinhas à decoração – sairá bem mais barato do que contratar um profissional. Aproveite as habilidades que cada um tem. Por exemplo, se as avós do bebê adoram fazer bolos e doces, peça a ajuda delas para a execução (você pode fornecer os ingredientes e elas entram com o talento!). Se uma amiga tem câmera boa e adora fotografar, peça que ela registre o melhores momentos da festa. Se sua prima entende de decoração, ela pode dar conselhos valiosos para deixar o salão mais bonito e aconchegante...

4. Simples e gostoso


Bolos simples, como de laranja, são ótimas opções para o chá de bebê (Foto: Thinkstock)

Em vez de fazer um almoço ou jantar, prefira um encontro em horário alternativo, para baratear o custo das refeições. Se você fizer um chá da tarde, por exemplo, é fácil investir em bolos simples, daqueles de tomar com café – fubá, cenoura e laranja são algumas das opções. 

5. Eles se servem

pipoca (Foto: thinktock)

Não é necessário contratar garçons e buffet especializado. Se o seu cardápio tiver apenas comidinhas do tipo finger food, monte um mesa com os pratos e deixe que os próprios convidados se sirvam. Fica prático e não custa quase nada. Algumas ideias fáceis e super acessíveis são: pipoca, tortas salgadas e lanchinhos caseiros.

6. Sem exagero
É fácil errar nos cálculos, comprar alimentos demais e depois tudo se perder. Para que isso não aconteça e você não jogue dinheiro fora, recorra à calculadora de festa da CRESCER que está disponível aqui.

7. Para adocicar

jujuba doce (Foto: thinktock)

A mesa principal pode ser facilmente decorada com potes de vidro ou de plástico colorido cheios de guloseimas, dessas que você compra em grande quantidade em lojas de doces (e por um precinho camarada!). Valem jujubas, balas de goma, chicletes, marshmallows... Você também pode investir em gelatina colorida feita em casa, servida em copinhos descartáveis de café. Fica uma delícia servir geladinha aos convidados.  

8. Balões

bexiga (Foto: thinktock)

As bexigas são clássicas e muito baratas! Não tem como errar: recorra a elas para dar um toque especial ao salão. Aposte em combinações de tons diferentes para um efeito mais bonito.

9. Varais por todo lado
varal_chá de bebê _festa decoração (Foto: thinktock)

Outra forma prática de decorar e que tem custo praticamente zero são os varais. Isso mesmo: basta um rolo de barbante e alguns pregadores para conseguir um lindo efeito. Você pode fazer três tipos diferentes: um com roupinhas do bebê que vai chegar, um com fotos suas e de seu companheiro (inclusive de quando eram crianças!) e outro com papeis em branco para que os convidados escrevam recadinhos para o seu filho (nesse caso, lembre-se de deixar canetas coloridas por perto e incentive as pessoas a deixar um recadinho).   

10. Florido

vaso flor enfeite festa decoração (Foto: thinktock)


Se você não abre mão de um toque natural na decoração mas acha que os arranjos florais estão muito caros, recorra ao mosquitinho (também conhecida como branquinha, cravo-de-amor, gipsófila ou véu-de-noiva). Trata-se daquela florzinha branca e delicada que está em alta nas festas. O maço costuma ser barato (nos grandes centros pode ser encontrado por cerca de R$ 6) e dá um efeito lindo. Fica ótimo dentro de garravas de vidro reutilizadas ou mesmo em peças de louça que você tem em casa, como bules e xícaras.  

11. Boas receitas
Um chá de bebê acolhedor e gostoso pede receitas caseiras, daquelas que sempre fazem sucesso na família e são passadas de geração à geração. Além delas, você pode incluir algumas novidades no cardápio, como essas que a CRESCER recomenda: 
*Pão de mel em meia hora 
* Bolo de Baunilha 
*Pirulito de banana com chocolate 
*Cookie rápido 
*Muffin salgado
*Sanduíoche de forno
*Miniburrito com salpicão de frango 
*Sanduíche de pasta de ovo  

Fonte: revista Crescer

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Novidade Brunnen Gestante

Para as mamães que procuram tudo no mesmo lugar: as roupas mais lindas para as mamães ficarem ainda mais lindas, o enxoval do bebê, o quartinhos dos sonhos. Tudo em um só lugar! Venha conhecer! Fique na moda, com roupas lindas e confortáveis feitas para este período tão especial que é a gestação! Estamos na Rua Des. Esperidião de Lima Medeiros, 156, no bairro Três Figueiras, em Porto Alegre.


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Alergia alimentar em crianças pode estar relacionada à ansiedade


Um estudo da Universidade de Columbia (EUA) mostrou que existe uma relação entre alergia alimentar e ansiedade em pacientes pediátricos. Os pesquisadores estudaram os sintomas de 80 crianças, entre 4 e 12 anos, com e sem alergia alimentar no Bronx, bairro de Nova York.

Entre as crianças que tinham esse tipo de alergia, 57% mostrou ter também sintomas de ansiedade, comparado a 48% entre as crianças não alérgicas. Os estudiosos levantaram algumas hipóteses para explicar os resultados. Para eles, entre populações carentes, o custo dos medicamentos pode ser um fator que gera ansiedade para os cuidadores e, consequentemente, para os pequenos. O fato de a criança se sentir diferente das outras também pode ser causa de ansiedade social.

ANSIEDADE INFANTIL
Há quem pense que transtornos psicológicos são restritos a adultos, mas a verdade é que a ansiedade, por exemplo, atinge uma em cada oito crianças. Frente a uma situação de estresse (como a alergia alimentar ou as consequências dela), o sistema límbico, região cerebral que comanda todas as nossas emoções e comportamentos sociais, envia um sinal para o sistema nervoso central. Assim, o corpo inteiro fica em estado de alerta: os batimentos cardíacos aceleram, os músculos tensionam, as mãos transpiram. É o organismo respondendo à iminência de um perigo, seja ele real ou hipotético.

Em uma dose saudável, a ansiedade pode ajudar a se preparar melhor para uma situação crítica. Ficar ansioso por causa de uma prova é um bom motivo para estudar mais. Mas nem sempre é assim. “Às vezes, a sensação é tão intensa e causa tanto mal-estar que a pessoa fica paralisada e não consegue agir”, diz o psiquiatra Fernando Asbahr, coordenador do Programa de Transtornos de Ansiedade na Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (SP). A partir desse ponto, ela pode se tornar um problema.

Em geral, o indicado como tratamento é a terapia cognitivo-comportamental, que ensina a lidar com os sentimentos de forma mais equilibrada. A ideia é lentamente expor a criança a situações que a desestabilizam e, conforme ela adquire segurança para lidar com o que sente, passa a novos desafios.

Fonte: http://revistacrescer.globo.com/