sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Cardápio para grávidas: veja as melhores opções para lanches rápidos durante a gestação

As oleaginosas são essenciais no cardápio das gestantes (Foto: Getty Images)
Por Manuella Menezes

Já sabemos que hábitos alimentares saudáveis devem ser estimulados o quanto antes, na vida de qualquer pessoa. No caso das mulheres, essa é mais uma forma de preparar o corpo para, quando a gestação acontecer, ter um organismo favorável para que a estrutura, a fisiologia e o metabolismo do bebê sejam bem formados. Durante os nove meses seguintes, a atenção com o que se põe no prato deve ser redobrada. “Uma dieta adequada pode evitar danos para o feto como doenças cardiovasculares, obesidade, alergias alimentares, doenças neurodegenerativas etc”, aponta Andrea Santa Rosa, nutricionista e mãe de quatro filhos.

A Dra. Eveline Duarte, que atende a repórter Fernanda Gentil, ressalta que a gestante deve se alimentar de três em três horas para evitar crises de hipoglicemia, ou seja, baixa quantidade de açúcar no sangue. “Dessa forma, ela garante o bom desenvolvimento fetal, além de oferecer nutrientes importantes durante todo o dia para o filho”, diz.

Frutas possuem fibras e nutrientes importantes para as grávidas (Foto: Getty Images)
As especialistas concordam que, para manter a saciedade, pequenos lanches contendo fibras e nutrientes são sempre as melhores escolhas. Entre os alimentos não recomendados estão carnes cruas, ovos e peixes crus, além do álcool, claro. É melhor evitar também embutidos (presunto, salames, peito de peru, salsicha, linguiça), doces, refrigerantes, excesso de cafeína, ervas e chás e, principalmente, o excesso de alimentos industrializados com aditivos químicos (conservantes, corantes, aromatizantes, edulcorantes, estabilizantes etc).

Já entre os itens que não podem faltar no menu da gestante estão frutas, legumes, vegetais, farelo de aveia, oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas), semente de girassol, semente de chia e quinoa. Confira abaixo quais deles são ideais para incluir no lanche entre uma refeição e outra e ficar com a saúde em dia – a sua e a do bebê!

Lanche da manhã
“Sugiro comer uma porção de frutas com farelos (aveia, chia, quinua, amaranto). Os farelos ajudam a reduzir o índice glicêmico das frutas; com isso, evitamos o pico de insulina até o horário do almoço”, diz Andrea Santa Rosa. No menu da Dra. Eveline, há pão integral, queijo, leite com fruta e semente de chia. “É um lanche rico em carboidrato, cálcio e fibras. Garante o aumento de glicose e evita enjoos matinais”, avalia.

Lanche da tarde
“Consuma fruta, iogurte natural e farelo de aveia. São fontes de fibras e proteínas que oferecem saciedade e auxiliam no bom funcionamento do intestino”, recomenda Eveline.
“Para sair da rotina e manter a combinação rica em carboidratos, proteínas e gordura, uma boa opção são torradas integrais ou sem glúten com pasta de homus (pasta árabe), guacamole, ricota com tomate e ervas, ou ovo mexido”, sugere Andrea.

Lanche da noite
“A gestante pode escolher entre uma fonte de proteína de alto valor biológico, como um iogurte ou omelete de claras; ou optar pelas gorduras boas das castanhas; ou ainda uma fruta com farelos. Caso a mulher tenha o hábito de jantar cedo e dormir tarde, a ceia é importante para não ocorrer hipoglicemia de madrugada”, explica Andrea. A Dra. Eveline sugere um mix de oleaginosas, com castanhas, amêndoas, avelãs, nozes e semente de girassol. “Elas garantem o aporte de magnésio, zinco, potássio, vitaminas do complexo B e vitamina E”, finaliza.


Fonte: GNT