sexta-feira, 22 de setembro de 2017

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Amamentação: mulheres conhecem os benefícios do leite materno, diz pesquisa


As mulheres estão cada vez mais informadas e conscientes sobre a importância da amamentação. É isso o que aponta um estudo global, que ouviu 12.077 mães de 18 a 45 anos, de nove países (Alemanha, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, França, México, Reino Unido e Turquia). No Brasil, a amostra total foi de 2.001 entrevistadas.
Os dados revelaram que 21,6% das mães amamentaram seus bebês por até 6 meses e outras 36,6% ofereceram o peito até o 12° mês. Quase 20% delas conseguiram manter o aleitamento até o segundo ano de vida e 9,2% amamentaram por mais de dois anos! Essas são ótimas notícias especialmente para as crianças: além de receberem o leite materno e ficarem bem nutridas, elas podem desfrutar dos inúmeros benefícios que acompanham a prática, como a imunidade e o vínculo com a mãe.

Nunca é demais lembrar que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade e como complemento até os 2 anos ou mais. E os números da pesquisa mostraram que a maioria das mães já sabe disso: 97,4% acreditam que amamentar é a melhor forma de nutrir o bebê e 92,6% afirmam que a saúde do filho é a principal razão pela qual amamentam no peito.

Outro aspecto positivo mostrado no estudo é a alta porcentagem de mulheres que extrai ou planeja extrair o próprio leite: 81%. A ordenha requer muita dedicação e cuidado, mas é uma ótima solução para manter o aleitamento após a volta ao trabalho ou se for necessário passar longos períodos longe do bebê.

Muitas vezes, além de alimentar o próprio filho, o leite extraído ainda consegue salvar vidas de recém-nascidos que dependem de doações. Felizmente, segundo a pesquisa, realizada pela Lansinoh, 71,8% das lactantes já doou ou planeja doar o próprio leite para bancos de hospitais ou diretamente para outras mulheres que precisam. Lindo gesto, não?

Fonte: Revista Crescer