quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Amamentação e vínculo entre mãe e filho


Que amamentar é essencial para o perfeito desenvolvimento do bebê, toda grávida já ouviu falar. O leite materno atende a todas as necessidades nutricionais do recém-nascido, previne contra alergias e colabora para a formação do sistema imunológico, só para citar alguns dos benefícios comprovados pela ciência. Mas sabia que as vantagens incluem, ainda, a formação do apego entre a mãe e o bebê?

“O vínculo entre eles se fortalece no contato pele a pele e no olhar”, destaca a pediatra Clery Bernardi Gallacci, do Hospital e Maternidade Santa Joana (SP). Não é à toa, refoça a pediatra neonatal Lilian Sadeck, do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo, que a distância entre o bebê e a mãe durante o processo equivale a aproximadamente 30 centímetros. “Ou seja, ideal para que o recém-nascido consiga enxergar a mãe perfeitamente, já que nos primeiros meses ele tem dificuldade para focar objetos de longe”, explica a especialista.

Um dos motivos pelo qual o aleitamento favorece o vínculo entre mãe e filho seria porque o toque libera a ocitocina, o chamado hormônio do amor, no organismo. “Muitas vezes, acreditamos que o amor entre eles nasce espontaneamente após o parto. Mas devemos ressaltar que essa relação deve ser construída. O aleitamento, sendo assim, facilita o processo”, diz Lilian. Tanto que, desde os anos 90, a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza que a criança seja colocada no peito da mãe logo na primeira hora de vida. E, como o primeiro mês após o parto é crucial para o estabelecimento da amamentação, Clery avisa: a primeira consulta do bebê ao pediatra deve ocorrer entre 48 e 72 horas após a alta da maternidade. Tanto para avaliar o recém-nascido quanto para garantir que mãe e filho estejam em sintonia durante o aleitamento.

E se eu não puder amamentar?

Calma! Se houver alguma contra-indicação ou dificuldade que impossibilite o gesto, não significa que o vínculo entre vocês não será estabelecido. “A mamadeira também se dá com amor”, afirma Lilian. Ela explica que a interação pode ser estabelecida de ambas as maneiras, desde que a mãe olhe o bebê com carinho, converse, enfim, curta o momento. “Outra dica é oferecer a mamadeira na posição da amamentação (ou seja, com o corpinho do bebê colado ao da mãe), para favorecer a troca de olhares”, diz.

Fonte: http://revistacrescer.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário