quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Alergia respiratória: proteja seu filho na primavera

O pólen das flores, aliado ao tempo seco da estação, precipita crises de rinite e asma em crianças predispostas, nessa época do ano. Saiba como protegê-las

Alergia respiratória: proteja seu filho na primavera
O pólen das flores, aliado ao tempo seco da estação, precipita crises de rinite e asma em crianças predispostas, nessa época do ano. Saiba como protegê-las

Por Adriana Toledo - atualizada em 23/09/2015 16h15

Compartilhar (1306) Pinar (0) Comp. (0) Comp. Tuítar(6) Assine já!
criança; tosse (Foto: ThinkStock)
Tosse, espirros, chiado no peito, falta de ar... Quem tem filho alérgico sabe o drama que representa um episódio típico de crise. A fim de ajudar pais e cuidadores a contornar o problema, CRESCER convidou o pneumologista Paulo Kussek, do Hospital Pequeno Príncipe (PR), para responder às dúvidas de leitores, em uma sessão de bate-papo no Facebook da CRESCER, que contou com a participação de mais de 500 convidados. 

Na ocasião, ele explicou que alergias nada mais são do que uma reação exagerada do sistema imunológico a determinado fator, que gera uma inflamação. O gatilho pode ser, entre outros, poeira, ácaro ou pólen, sendo que esse último explica por que algumas crianças sofrem mais na primavera. Sem contar que se trata de uma época em que o ar tende a ficar mais seco, o que favorece o surgimento das crises.

A forma como os episódios se manifestam depende de aspectos genéticos e da sensibilidade individual. Se a inflamação acomete a mucosa do nariz, o problema é chamado de rinite e provoca sintomas como congestão nasal, espirros e coceira. Quando os brônquios são afetados, a criança pode ter falta de ar, sensação de aperto no peito, chiado e tosse. Esse quadro é chamado de asma e atinge cerca de 10% das pessoas, segundo Kussek. Confira, a seguir, algumas das principais dúvidas respondidas pelo especialista sobre o assunto:

Todas as crianças que têm asma pioram na primavera?
Não necessariamente. A asma tem vários fatores desencadeantes. Há crianças que têm o quadro agravado por outros motivos, como mudança climática, viroses e esforço físico.

Como prevenir as crises nesta estação?
Basicamente, hidratando bem a criança e mantendo o ambiente limpo, além de buscar orientações e tratamento adequado com um médico especialista.

Qual a melhor forma de aliviar a congestão nasal do meu filho?
Os descongestionantes nasais só podem ser utilizados a partir dos 2 anos (sempre sob orientação médica). Antes disso, a única opção é recorrer ao soro fisiológico.

Minha família toda tem rinite alérgica, mas temos receio de usar medicamentos. Há algum risco?
A rinite alérgica é uma doença muito comum e o uso de remédios é indicado quando prejudica a qualidade de vida. Nesses casos, eles devem ser administrados de forma contínua, principalmente na primavera. Trata-se de medicações seguras e que podem ser usadas por longos períodos, desde que com orientação médica.

Tenho gêmeos que tomam antialérgicos diariamente. Há consequências para o uso prolongado?
Medicamentos dessa classe não são prejudiciais, salvo aqueles à base de corticoides, que só podem ser administrados por um curto período, de até 10 dias.

Como diferenciar a crise de asma da tosse alérgica?
Os sintomas da asma são tosse, chiado no peito e sensação de aperto torácico. Nos casos leves, o único sintoma é a tosse. Uma avaliação médica é fundamental para classificar e tratar as crises.

A asma pode estar relacionada à alergia ao leite?

Algumas pessoas têm, sim, alergia associada. Se houver suspeita, o médico poderá orientar a retirada dos laticínios da dieta por 30 dias para observar a resposta do organismo.

Fonte: revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário