sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Depilação na gravidez: o que pode e o que não pode?

Depilação na gravidez deve ter alguns cuidados (Foto: Thinkstock)
Antes de engravidar, você costumava se depilar com cera ou usava lâmina? Saiba que, durante a gestação, não é preciso mudar o hábito que tinha para eliminar os pelos. Inclusive, pode ser até que alguma alteração traga problemas. "Se há uma passagem de lâmina para cera pode haver mais sensibilidade da pele e ser prejudicial", diz dermatologista Regina Bruttos (SP), especialista em procedimentos estéticos em gestantes.

A depilação pode ser feita até o nono mês de gestação, porém é preciso cuidados para que não haja lesões. Isso porque, além da possibilidade de infecções, elas podem causar marcas permanentes na pele. “Sempre que acontece alguma inflamação ou machucado na gravidez, há risco de aparecer mancha”, diz. 

E se você mesma sempre se depilou em casa, durante a gestação, talvez seja preciso repensar essa prática. Com o volume da barriga, a visibilidade fica prejudicada, sem contar a dificuldade para encontrar posições ideais e confortáveis para a depilação. Por isso, vale procurar um local com excelente higienização para que a retirada dos pelos seja feita por uma profissional habituada a trabalhar com gestantes.

Mas, afinal, qual método é permitido?
DEPILAÇÃO A LASER - Não pode ser realizada durante a gravidez, pelo alto risco de causar mancha na gestante. “O laser não oferece risco ao bebê, o cuidado é para a pele da mãe mesmo”, afirma Regina.

LÂMINA - Ela pode ser usada sem problemas, mas o manuseio deve ser cuidadoso, principalmente pelo risco de pequenos cortes que podem causar infecções e contaminações. “A lâmina provoca microfissuras na pele e é necessário mais atenção no caso da gestante”, reforça a especialista.

CREMES DEPILATÓRIOS - Embora não haja nenhum estudo que contra-indique o uso, a especialista não aconselha as mães a realizarem o procedimento. “Esses cremes têm um poder irritativo muito grande e devem ser evitados, como qualquer processo que induza alergia ou irritação, já que podem manchar a pele”, diz.

CERA FRIA OU QUENTE - Não há contra-indicação, independente da temperatura. Porém, é preciso cuidados. No caso da cera quente, Regina afirma que deve haver uma atenção especial com a temperatura, pois, junto à sensibilidade aflorada da mulher (que pode aumentar com o passar dos meses da gestação), o calor excessivo pode traumatizar a pele e deixar marcas. A cera também não pode ser reutilizada.

Fonte: http://revistacrescer.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário