terça-feira, 9 de junho de 2015

Tudo sobre a produção do leite materno

Como o leite materno ajuda a formar o paladar da criança (Foto: Thinkstock Photo)
A amamentação costuma ser um fator de preocupação para as mães antes mesmo de o bebê nascer. E não é para menos. Afinal, o leite materno é o alimento mais completo que seu filho pode receber. Mas como ele é produzido? E se, depois que a criança nascer, a produção não for suficiente? Como estimular? Veja a seguir a resposta para seis perguntas comuns sobre a produção do leite materno.

1. A partir de que idade gestacional a prolactina, hormônio que estimula a produção do leite materno, entra em ação?
A prolactina é um hormônio produzido pela adeno-hipófise inclusive em mulheres não gestantes e até em homens. Durante a gravidez, a produção desse hormônio aumenta até 20 vezes em comparação ao período não gestacional. A ação começa a partir do segundo trimestre e, ao final da gravidez, a atividade tanto da prolactina quanto do lactogênio (outro hormônio, produzido na placenta) é tão intensa que a gestante só não produz leite antes do parto porque a alta taxa de estrogênio no organismo não permite. A prolactina interfere na disposição sexual da mulher, reduzindo a libido e ressecando a vagina. Esses efeitos podem ser sentidos com maior intensidade depois do parto, durante a amamentação.

2. Quando o colostro pode começar a vazar? É ruim se isso acontece antes do bebê nascer?
É absolutamente normal vazar líquido dos seios durante a gravidez. O colostro é produzido pelas mamas antes do leite materno. No final da gravidez, os seios já são capazes de produzir esse pré-leite rico em proteínas para o bebê. Em algumas mulheres, o colostro vaza bastante antes mesmo do parto, em outras ele nem dá sinal, o que também é absolutamente normal. Para evitar surpresas, saiba que o vazamento pode acontecer especialmente durante as relações sexuais, quando a liberação é estimulada. Pode ser desconfortável, mas você e seu parceiro não precisam se preocupar. Para não ficar com a roupa molhada, você pode usar absorventes para seios dentro do sutiã. Se preferir continuar usando o acessório durante a noite, será necessário dormir de sutiã. Caso não sinta o colostro pingando antes do nascimento do bebê, não se preocupe. Ele aparece poucas horas depois do parto, mesmo que a mãe não consiga vê-lo.

3. Quando o leite propriamente desce?
A descida do leite ou apojadura costuma ocorrer em torno do terceiro dia pós-parto. Até lá, o bebê pode ser saciado com o colostro. Quanto mais o bebê suga, mais a produção é estimulada.

4. O que ajuda na produção do leite materno?
Um ambiente tranquilo e sem estresse, a ingestão da quantidade adequada de líquidos e, sobretudo, a própria amamentação, ou seja, o estímulo da sucção do bebê por meio da livre demanda e de um posicionamento adequado. Beba bastante água, tente não ficar nervosa durante o período de aleitamento, durma bem, tenha uma alimentação saudável, amamente sempre que o bebê quiser e o ajude a acertar a pega. Isso será suficiente para que você produza todo o leite que seu filho vai precisar.

5. Se a produção está baixa, o que a mãe pode fazer?
A mulher deve, sobretudo, rever todo o processo de amamentação, respeitando preceitos básicos, como repouso materno entre cada mamada do bebê, evitar o estresse, manter-se hidratada e ter uma alimentação saudável. A massagem prévia à amamentação, com ordenha inicial, e as compressas de água morna também podem ser úteis. Porém, o mais importante é respeitar a livre demanda e se certificar de que a pega está adequada. A ingestão de remédios somente deve ser feita em casos específicos e sob orientação médica.

6. Qual é a composição do leite ao longo da amamentação?
Podemos dividir a produção do leite em três fases distintas. A primeira fase, também chamada de fase do colostro, ocorre do período p
ós-parto até o terceiro dia do nascimento. Na segunda, de transição, o leite sofre mudanças graduais até assumir as características do leite maduro, o que ocorre por volta do 25º dia após a chegada do bebê. A terceira fase é a do leite maduro, que ocorre a partir do 25º dia de pós-parto. Nesse período, a estrutura nutricional do leite irá acompanhar o amadurecimento do bebê. A constituição do leite ao longo da mamada também se divide em etapas. Nos primeiros minutos, ele parece mais aguado e contém fatores de proteção importantes para o sistema imunológico. A fração do meio é rica em proteínas e minerais como cálcio e fósforo. Já no final da mamada, o líquido é mais espesso e rico em gorduras. Daí a importância de o bebê sugar até esvaziar a mama. Destaca-se ainda a importância do aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade e da amamentação prolongada até os 2 anos ou mais, de acordo com recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde.

Fone: revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário