quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Uma em cada cinco crianças no Reino Unido está obesa, aponta estudo

O excesso de peso pode causar não só problemas de saúde, como também afetar a autoestima das crianças

Um grande estudo, que acompanha 13 mil crianças nascidas no Reino Unido desde o começo no novo milênio, chamado The Millennium Cohort Study, revelou dados alarmantes: uma em cada cinco acima dos 11 anos de idade é considerada obesa. Depois da divulgação desses resultados, alguns especialistas chegaram até a sugerir o monitoramento compulsório do peso das crianças.

O Instituto de Educação em Londres, que analisou a altura e o peso, descobriu que a proporção de obesos até os 7 anos é mais ou menos constante: de 12% a 13%. Mas, aos 11 anos, esse índice dispara para 20%. Em entrevista à BBC, o líder da pesquisa, Roxanne Connelly, lembrou que a obesidade deve ser tratada como uma questão familiar: “Pais que estão acima do peso passam isso a seus filhos em um ciclo vicioso”.

Há diversos fatores envolvidos na questão do excesso de peso. O primeiro deles é a genética: estudos apontam que filhos de pais obesos têm 50% de ter o problema também. A má alimentação está entre os vilões mais comentados, por causa da proliferação de fast-foods e da falta de tempo para preparar refeições saudáveis em casa. O sedentarismo segue na lista dos “culpados”. Isso porque a prática de exercícios não só ajuda a combater a obesidade, fazendo com que crianças e adultos gastem energia acumulada, como também diminui o risco de doenças cardiovasculares e libera substâncias que causam a sensação de bem-estar, como as endorfinas.

Drama na balança e no espelho

A pesquisa revelou ainda que a confiança  que as crianças têm em si mesmas pode ser abalada pelo excesso de peso: mais de 10% das obesas tinham baixa auto-estima, enquanto esse índice para aquelas que estavam de bem com a balança cai para 7%; Além disso, 34% das obesas revelaram estar satisfeitas com sua aparência. Entre as crianças saudáveis, esse índice sobe para 43%. Além da falta de contentamento consigo mesmo, estudos apontam que a obesidade está frequentemente associada a situações de bullying e problemas de adaptação social.

Ter um estilo de vida saudável é uma lição que se aprende dentro de casa. Se os pais se alimentam de forma equilibrada, praticam atividades físicas regularmente e se preocupam com a saúde, as crianças tendem a reproduzir esse modelo.


Fonte: revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário