sábado, 20 de abril de 2013

Seu filho não come nada? Leve-o para a cozinha!


Pesquisa canadense mostra que crianças que participam do preparo das refeições gostam mais de frutas e vegetais

Cami Oliveira

 Shutterstock

Cenoura, beterraba, brócolis, vagem, alface, rúcula, couve-flor. Só de ouvir o nome desses vegetais seu filho já faz cara feia? Calma! Assim como ele, muitas outras crianças não gostam dos “verdes” que insistem em aparecer no prato. Mas a solução, segundo uma pesquisa canadense, parece ser fácil e prazerosa. Basta convidar seu filho para a cozinhar. Sim, é isso mesmo! De acordo com um estudo da Universidade de Alberta, no Canadá, chamar as crianças para ajudar a preparar as refeições é a melhor maneira de fazer com que elas aprendam a fazer escolhas saudáveis na alimentação.

Para chegar a esse resultado, os cientistas analisaram o comportamento de 151 estudantes de escolas da Província de Alberta. Quase um terço das crianças revelou que haviam ajudado os pais a preparar pelo menos uma refeição por dia no último mês. Outro um terço disse ter participado da preparação na cozinha de uma a três vezes por semana com os pais, enquanto um quarto das crianças admitiu ajudar a fazer a comida apenas uma vez por mês. Por fim, 12,4% revelaram nem ter entrado na cozinha. 

Depois de analisar o comportamento das crianças na cozinha, os cientistas perguntaram o que elas gostavam de comer. A maioria afirmou gostar de frutas. Mas aqueles que participaram do preparo das refeições mais vezes também colocaram verduras e legumes na lista de preferências, além de se mostrarem mais confiantes sobre a importância de fazer escolhas mais saudáveis.

Mas a cozinha não é um ambiente perigoso para as crianças? Depois dos 3 anos, com a companhia dos adultos, elas já podem, sim, brincar com massas e ajudar a misturar ingredientes, por exemplo. Antes disso, seu filho já pode acompanhá-la enquanto você prepara as refeições, sentado no cadeirão. E assim, entre um prato e outro, ele vai conhecer os legumes e se interessar por eles. 

Para o professor Paul Veugelers, co-autor do estudo, ao optar por uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes, seu filho vai ter um melhor desenvolvimento ósseo e muscular, além de aprender mais rápido e melhor. 

“Manter uma alimentação saudável é importante porque nos mantém longe do sobrepeso e das doenças crônicas, como a obesidade”, diz Veugelers. A pediatra Carolina Bombini Ferro, do Hospital 9 de Julho (SP), faz eco. "Eles são essenciais no crescimento e desenvolvimento neuropsicomotor da criança e a falta é o motivo dos altos índices de desnutrição verificados na rotina dos consultórios pediátricos do país", diz Bombini. 

LEIA MAIS: 8 problemas das crianças na hora de comer legumes e como resolvê-los

A pediatra Wylma Hossaka, coordenadora do Pronto Atendimento Infantil do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, observa que os pais que estimulam os filhos a ir para a cozinha são geralmente os que costumam cozinhar mais e fazem as melhores escolhas para a alimentação da família - o que já começa no supermercado. "Ao ficar mais próxima desses alimentos e conhecer as opções, a criança vai se interessar mais por eles e, consequentemente, apreciá-los também”, diz Wylma.

E de nada adianta insistir para que seu filho coma frutas e legumes se você é o primeiro a fazer cara feia. O seu exemplo é fundamental para ajudar seu filho a criar hábitos saudáveis, não custa lembrar.

Fonte: revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário