domingo, 24 de março de 2013

4 coisas que ninguém contou para você sobre gravidez


Há algumas mudanças que acontecem nesse período que mudam para sempre o seu corpo e os seus hábitos. Prepare-se!

Crescer


O pé cresce, sim! 
Pé chato é um problema comum na gravidez, por conta do peso extra e da maior frouxidão das articulações associadas aos hormônios. A novidade é que, após a gravidez, o pé não volta 100% ao normal, como acreditavam os médicos. 

Um estudo recente da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, confirmou pela primeira vez o que durante muito tempo foi apenas uma impressão: a gravidez pode alterar permanentemente o tamanho dos pés das mulheres. Os pesquisadores acompanharam 49 gestantes, cujas medidas dos pés foram registradas no primeiro trimestre da gestação e cinco meses após o parto. Para 70% delas, o pé tornou-se mais comprido e mais largo. 

A pesquisa mostrou que, em média, a altura e a rigidez do arco da sola do pé diminuíram entre as duas medições (primeiro trimestre e cinco meses após o parto). Eles verificaram aumentos no comprimento do pé de 2 a 10 milímetros – ou seja, o sapato pode aumentar um número! O estudo também sugeriu que a primeira gestação é a responsável por essas mudanças, e que as demais não causariam mais alterações significativas na estrutura do pé. 

A miopia pode aumentar 
Não é brincadeira quando dizem que a gestação altera todo o organismo da mulher. E isso inclui também a visão. Segundo Wallace Chamom, professor do departamento de Oftalmologia da Unifesp, quem tem miopia pode ter sua prescrição aumentada em até um grau durante a gravidez. “Isso ocorre devido à alteração na hidratação da córnea e do cristalino”, diz o médico. Assim como todo o corpo da mulher, a córnea também retém líquidos. E essa retenção pode causar o aparecimento ou o aumento da miopia. A alteração, de acordo com o médico, pode regredir ao final da gestação, então ,avalie com o médico se é o caso de trocar de lente. Outro problema é que muitas gestantes ficam intolerantes à lente de contato. Por isso, logo nos primeiros meses, é importante agendar uma visita ao oftalmologista. 

Tem que usar sutiã para dormir 
O que acontece é que, como as mamas são supersensíveis à atuação dos hormônios, do primeiro ao terceiro mês de gestação elas crescem bastante, justamente quando a produção deles está em alta. E o sutiã – que serve para deixar a mulher mais bonita, ajuda na sedução e outras coisas mais – tem a função de sustentar os seios, que tendem a “cair” por causa do peso, ao longo da vida. Como na gravidez, esse peso vai aumentar, a recomendação médica é usar até para dormir. Os tops – mais confortáveis, de algodão – também podem fazer sua parte. Por mais que pareça que vá incomodar, na verdade para muitas grávidas ele pode ser um alívio na hora de deitar, melhorando o sono. Não é uma obrigação, mas pode trazer benefícios. 

A prisão de ventre pode piorar 
Esse desconforto é comum durante os nove meses e pode piorar se você já tinha o problema antes de engravidar – cerca de 40% das grávidas passam por isso. A constipação acontece porque a progesterona (hormônio da gestação) deixa o intestino preguiçoso, além de o útero comprimi-lo. Há mulheres que se queixam já no primeiro trimestre, e o ferro presente nas vitaminas que você toma pode agravar a situação. Assim que você sentir dificuldade para ir ao banheiro, procure o médico. Em alguns casos, o obstetra pode receitar o uso de laxantes apropriados para as grávidas. Em casa, beba bastante água e incremente as refeições com alimentos ricos em fibras, que ajudam a prevenir a prisão de ventre. São eles: cereais, frutas, verduras e legumes. Comer ameixa preta ou fazer um suco com ela é uma boa dica. Os exercícios físicos também ajudam, mas só se o seu médico liberar. 

Fonte: Fabiana Sabbag, ginecologista e obstetra do Hospital São Luiz (SP)
Revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário