quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Até quando a criança deve acreditar no Papai Noel?

Entenda como se dá essa crença no imaginário infantil e por quanto tempo incentivar seu filho a acreditar no bom velhinho

Simone Tinti


Seu filho já está ansioso com a chegada do Papai Noel? Pois saiba que, até os 7 anos, essa será uma espera comum na sua casa durante o mês de dezembro. A crença está relacionada à fantasia, tão comum às crianças dessa idade, como explica a psicóloga Márcia Ferreira. “Até os 5 anos não existe uma diferenciação muito clara do que é verdade e ficção. E é isso que dá vida aos rituais”, diz.

No entanto, não se espante se por volta desta idade seu filho começar a questioná-lo sobre o Papai Noel. “Eu sei que é o meu tio fantasiado!” ou dizer que ouviu dos primos ou dos irmãos mais velhos que o bom velhinho, na verdade, não existe, pode ser mais constante. “A partir dos 5 anos, as crianças ainda querem acreditar, mas já começam a perceber que o Papai Noel não vem em um trenó puxado por renas, e também questionam como seria possível uma única pessoa entregar presentes no mundo todo”, explica Márcia.

Ou seja, seu filho já começa a desvendar o mistério, mas no fundo, ainda aguarda o presente do Papai Noel. “Parar de acreditar é um processo pelo qual a criança passa naturalmente. Dificilmente os pais vão precisar contar para o filho que o bom velhinho não existe de verdade”, diz a psicóloga. Mas, e quando isso não acontece? Apesar de não ser frequente, nesse caso os pais precisarão ajudar na descoberta. De acordo com a psicóloga, a partir dos 7 ou 8 anos, a noção de realidade da criança já está mais clara. Até lá, curta com o seu filho essa magia tão gostosa - e inesquecível!

Fonte: Revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário