segunda-feira, 17 de julho de 2017

Fertilização in vitro cresce no Brasil

(Foto: Thinkstock)

A fertilização in vitro (FIV) é um método que ajuda pessoas que não conseguem engravidar com naturalidade e tem se tornado cada vez mais popular. A técnica, que chegou ao Brasil em 1984, tem atraído muitas famílias. Segundo um levantamento da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), de 2011 a 2016, o número de FIVs realizados no país saltou de 13.527 para 33.790, ou seja, um crescimento de 149,79%.

“Esse aumento tem ocorrido ano após ano, mas tem sido mais significativo nos últimos cinco”, diz o ginecologista Marcos Moura, especialista em reprodução assistida na Clínica Matrix, em Ribeirão Preto (São Paulo). “Acredito que uma das possíveis causas é que a mulher está cada vez mais postergando a gestação; a idade com a qual elas têm o primeiro filho vem aumentando. Como deixar para engravidar mais tarde pode influenciar na fertilidade da futura mãe, os casais recorrem ao método”, completa o especialista. Para Moura, outros fatores, como a divulgação e desmitificação do tratamento, além da redução nos custos, aproximou as pessoas da técnica.

No entanto, apesar do crescimento notável, para o professor do Departamento de Saúde Coletiva da UnB, Volnei Garrafa, também membro do Comitê Internacional de Bioética da UNESCO, o número obtido não condiz com a realidade. “Esse valor está muito aquém da quantidade de procedimentos de tecnologia assistida no Brasil. O controle é muito precário e há clínicas que realizam a técnica sem o credenciamento da Anvisa”, discorre o professor.

Para o futuro
Segundo julgam os especialistas consultados, o número de procedimentos deve crescer ainda mais nos próximos anos. “Por conta da maior divulgação, de uma queda no custo e pela idade em que os casais estão buscando filhos, mais pessoas vão buscar a reprodução assistida nos próximos anos”, analisa Garrafa.

Fonte: http://revistacrescer.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário