quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Lavando e organizando as roupinhas do bebê

Quando completei 32 semanas de gestação (8 meses!) um daqueles aplicativos de gravidez me avisou que era uma boa hora pra começar a arrumar a mala da maternidade. Pra fazer isso, precisamos lavar as roupinhas do bebê!


Diferente de mim #vidaloka que já saio de uma loja vestindo o que acabei de comprar, os bebês tem uma pele extremamente sensível que com as químicas, perfumes e corantes, pode desenvolver alergias, dermatites e irritações. Por isso, tudo que vai encostar na pele dele (não só roupas, mas lençóis, gorrinhos, toalhas…) deve ser lavado de uma maneira especial. As mães mais dedicadas lavam peça por peça… eu, mãe prática de primeira viagem, sem frescura, jogo tudo na máquina, mesmo! E vamos ver no que dá… hehehe
Resolvi fazer esse post #liadecasa por dois motivos: 1º algumas leitoras me perguntaram como eu fiz e que sabão usei, 2º lavar as roupinhas é uma das pequenas coisas emocionantes dessa espera. Então vamos lá!

COMO LAVAR ROUPAS DE BEBÊS

1. Limpando a máquina de lavar
Começando do começo! A máquina estava ~contaminada~ das lavagens comuns e meio sujinha. A gente usou sua opção de auto-limpeza (é uma Samsung) com cerca de um copo de cloro. Pra finalizar, mais um enxague extra pra ter certeza que não ficou resíduo de cloro na máquina, pra não manchar nada! :)

2. Separando as peças
Aqui precisamos de 4 lavagens por causa da quantidade de peças. Separei da seguinte forma: roupinhas brancas + roupinhas coloridas + toalhas, naninhas, fraldas, meias e bandanas + lençóis, cobertores e mantas. A separação mais importante é a de cores, porque como as roupinhas são novas, elas podem soltar tinta e manchar as peças mais clarinhas.

3. Usando produtos especiais
No supermercado existem alguns sabões líquidos especiais para bebê, eles são mais neutros e delicados. Eu comprei o Lava Roupas e o Amaciante de uma marca chamada Vida Macia, própria pra bebês. De primeira não usei o amaciante, pra tentar ter menos produto na roupinha, mas achei que faltou macies nos tecidos, então nas outras lavagens já usamos o outro produto também.

4. Programando a máquina
Nossa máquina tem uma função chamada Baby Care, que além de mais delicada, tem um enxague mais específico pra tirar os resíduos de produto das peças. Se sua máquina não tiver essa função, use alguma própria para lavagem suave.

5. Secagem e passagem (?)
A máquina tem uma função de secagem mas achei que podia encolher um pouco as peças, então secamos tudo no varal. O tempo estava bem seco nesses dias que lavamos, então de um dia pro outro já estava tudo sequinho, mesmo sem sol.
Sobre passar roupas: aqui em casa a gente não passa nenhum tipo de roupa nunca, acho que nem tenho mais ferro! hehehe É do varal (tudo bem esticadinho) para a gaveta.

Os pediatras recomendam que a roupa do bebê seja lavada dessa forma especial até que ele complete 1 ano de vida.
Aqui tenho que deixar uma observação de amor: quem geralmente lava as roupas por aqui é o maridão. Eu que “ajudo” nas tarefas domésticas, ele é o verdadeiro rei do lar. ♥♥♥ #danidecasa hehehe

Depois de tudo limpo e seco, hora de organizar tudo no quartinho do Fernando! :D A gente tem guarda-roupa embutido nesse quarto, mas ele está ocupado com as roupas do Dani e da casa, então temporariamente o bebê não vai usar. O bom é que nem precisou, coube tudo lindamente na cômoda fraldário da Grão de Gente. Escolhi esse modelo de cômoda pois achei o design lindo, clean e moderno e, ela é bem alta, então vai ser onde eu vou botar o trocador dele.

COMO GUARDAR E ORGANIZAR AS ROUPAS DO BEBÊ

1. Separando as peças por gavetas
Aqui são 4 gavetas, de cima para baixo: bodys + macacões + fraldas, babadores e gorrinhos + lençóis, toalhas e mantos. Assim o que a gente usa mais fica mais acessível no topo!
2. Organizando por tamanho
Dentro das gavetas, botei tudo numa ordem de tamanhos, pra ter certeza que vou usar as roupinhas certas antes que ele cresça demais e perca. Além de considerar as etiquetas (RN, P, M, G), eu também considerei meu ~olhômetro~ porque algumas fôrmas são diferentes e não quero surpresas!
3. Dobrando as roupinhas
Pra dobrar todas esses micro coisas eu segui a dobragem do método KonMari que vi nesse youtube aqui. Fica tudo de pé arrumadinho então você tem visualização completa das coisas! Além disso, como as roupas não são empilhadas, não faz peso e elas não ficam com as marcas da dobra quando você for vestir no bebê.


Na portinha lateral da cômoda eu coloquei todas as coisinhas de higiene dele! Se inscreve lá no meu canal pois assim que o quarto ficar pronto vou filmar um tour mostrando detalhes.
E enfim, sobre a parte mais legal de tudo: essa preparação das roupinhas foi pra mim uma das coisas mais gostosas em toda gravidez. Dá uma emoção muito boa sentir o carinho ao mexer em cada macacãozinho, dobrar, imaginar que logo logo um bebê fofo e cheiroso vai estar ~recheando~ aquilo. Eu dobrei cada roupinha com uma felicidade tão grande! Parece bobo né!? E ver o Dani pendurando as coisas no varal, deu aquela esquentadinha no coração… Que sensações boas e novas!
Esse trimestre final da gestação tem sido difícil, fisicamente e mentalmente mais puxado que o resto, então são essas pequenas coisas que ajudam a gente a reequilibrar as energias! Escrevo aqui não só pra vocês lerem, mas porque quero sempre poder lembrar dessa alegria com algo tão simples.

Fonte: http://www.justlia.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário