segunda-feira, 2 de maio de 2016

Sono infantil: por que a rotina é tão importante e como fazer isso

De acordo com uma pesquisa australiana, os primeiros cinco anos de vida são cruciais para ajustar a rotina de descanso do seu filho. Entenda e veja 14 coisas que você precisa saber sobre a hora de dormir.

Um estudo realizado pela Universidade de Queensland, na Austrália, acompanhou os hábitos de sono de cerca de 2.900 crianças de 0 a 5 anos e, depois, voltaram a analisar o comportamento delas dois anos depois. A conclusão foi a de que a maior parte das crianças que tinha uma rotina de descanso desajustada apresentava riscos mais significativos de desenvolver problemas relacionados a déficit de atenção e a dificuldades de aprendizado na escola.

“Uma em cada três crianças têm problemas de sono e, é claro, que nem todas elas demonstraram uma performance pobre no ajuste à escola, mas o risco de os professores notarem que elas tinham dificuldades nesse ajuste era maior”, disse Kate Williams, especialista em educação que coordenou o estudo. Na pesquisa, ela ainda observou se as crianças conseguiam pegar no sono sozinhas, tinham períodos de descanso muito curtos, se tinham sonambulismo e se eram capazes de dormir novamente sozinhas, caso acordassem durante a noite.

Para a especialista, é importante que os pais façam uma higiene do sono, que inclui ajustar a hora de ir para a cama, que deve ser sempre a mesma, diminuir o uso de telas, como tablets, smartphones e televisores, criar rotinas consistentes antes de deitar e construir estratégias para acalmar, como ler ou ouvir uma música relaxante.

Se meu filho não dorme bem aos 5 anos, vai ser mais difícil colocá-lo em um ritmo?

De acordo com Rosana Cardoso Alves, neurologista da Associação Brasileira do Sono, a primeira infância é um período crucial para criar uma rotina saudável. “Isso não quer dizer que é impossível fazer uma reeducação mais tarde. É possível fazer isso até com adultos. Mas a facilidade não é a mesma”, explica a médica. “O sono insuficiente pode, sim, levar à alteração de memória, que compromete, mais tarde, o rendimento na escola”, completa.

Manoel da Nobrega, membro do Departamento Científico de Otorrinolaringologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), diz que a implantação da rotina do sono deve ser iniciada cedo, por volta da segunda semana de vida da criança. “A mãe deve começar a fazer o bebê distinguir o dia da noite”, afirma o médico. E se ele faz parte dos que trocam a noite pelo dia, você tem como ajustar essa bagunça. Clique aqui e e saiba como!

14 coisas que você precisa saber sobre o sono do seu filho

1. É importante manter um ritmo estável nas atividades da criança, principalmente na alimentação e no sono. Isso vai ajudar seu filho a entender quando é hora de fazer essa ou aquela atividade e a dar segurança e estabilidade a ele.

2. Dormir cedo é importante porque, quando escurece, o organismo libera a melatonina, o hormônio do crescimento. A recomendação dos especialistas é de que as crianças devem ir para a cama por volta das 20h, todos os dias.

3. Estabelecer uma rotina antes da hora de dormir ajuda a criança entender qual é o momento de desacelerar. Vale o que funcionar melhor para a família, mas é fundamental seguir os horários e a sequência das atividades, como tomar banho, escovar os dentes, colocar o pijama, cantar ou ler uma história...

4. Quando estiver próximo da hora de dormir, diminua as luzes e os ruídos da casa. Quanto mais calmo o ambiente estiveer, melhor para a criança, que entenderá que aquele é o momento de descansar.

5. Exceto nos casos em que haja recomendação médica ou quando o bebê for muito pequeno, não precisa acordá-lo para mamar durante a noite. Espere até que ele desperte para solicitar o leite.

6. Procure oferecer refeições mais leves à noite, para facilitar a digestão e o sono da criança.

7. Para as crianças maiores, evite oferecer líquidos em horários próximos ao momento de dormir, para que a vontade de ir ao banheiro não ajude a despertá-las. O último copo de água deve ser ingerido, preferencialmente, pelo menos uma hora antes do seu filho ir para a cama.

8. Deixar a luz acesa não é necessário e pode interferir na produção de melatonina. O melhor é deixar o ambiente totalmente escuro e, se a criança sentir medo ou desconforto, opte por uma luz mais fraca, em tom de azul, bem discreta.

9. Nada de televisão, celular ou tablet antes de dormir. Os aparelhos podem deixar as crianças agitadas e atrapalhar a chegada do sono.

10. Ensinar aos bebês o que é dia e o que é noite é uma tarefa que deve começar cedo, de preferência já na segunda semana de vida. Não precisa mudar a rotina da casa durante o dia. Ou seja, a família deve mantê-la iluminada e não evitar barulhos da rotina doméstica, como o telefone, as conversas, as visitas, o liquidificador ou o aspirador de pó, mesmo que seu filho esteja dormindo.

11. No horário habitual do despertar da criança, abra as janelas. Faça isso todos os dias, no mesmo horário. Isso vale dos bebês aos mais velhos.

12. Os cochilos também devem seguir uma rotina, sempre no mesmo horário. Geralmente, as crianças preferem fazer isso depois do almoço. Evite os horários das 9h ao meio-dia, que pode postergar a soneca da tarde, e o das 17h às 20h, que pode atrapalhar a rotina noturna.

13. Nas primeiras seis a oito semanas, o bebê não consegue ficar acordado por mais de duas seguidas, portanto, não se deve esperar muito mais que isso para colocá-lo para dormir, pois, se ele estiver cansado demais, pode ficar irritado e sentir dificuldades para adormecer.

14. Pode ser complicado, mas, mesmo aos finais de semana ou quando os pais estiverem fora de casa, a rotina deve ser seguida, conforme for possível. Procure fazer poucas exceções para a criança ter o mesmo horário de dormir e acordar. Isso transmite segurança.

Fontes: Rosana Cardoso Alves, neurologista da Associação Brasileira do Sono, e Manoel da Nobrega, membro do Departamento Científico de Otorrinolaringologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário