terça-feira, 20 de outubro de 2015

Mudanças de temperatura afetam a saúde?

Descubra o que diz a ciência em relação a crenças populares sobre o impacto da temperatura no organismo

Muita gente acredita que a chuva provoca resfriados. Mas isso não passa de um mito
(Foto: Raoni Maddalena)
Provavelmente, você já ouviu dizer que tomar sorvete dá dor de garganta e que é melhor por um gorro na cabeça, caso o vento esteja gelado. Mas será que essas crenças populares sobre os efeitos do tempo em nosso corpo têm alguma base científica? Conversamos com a pediatra Fabíola Peixoto, do Hospital Leforte (SP), para descobrir. Confira:

Vento dá dor de ouvido?
Verdade. O vento frio pode causar dor de ouvido caso a pessoa tenha nevralgia, uma disfunção dos nervos sensitivos dessa região. “Quando o vento gelado bate, ocorre uma resposta exagerada das informações sensitivas periféricas, que acabam sendo interpretadas como sensação dolorosa pelo sistema nervoso central”, esclarece Fabíola. Se a criança tiver predisposição, devem ser usados gorros ou xales para proteger as orelhas e, caso a dor persista, podem sem feitas compressas quentes para amenizá-la.

Sorvete dá dor de garganta?
Mito. “O que causa amigdalite e faringite são micro-organismos, como bactérias e vírus”, afirma a pediatra. No entanto, por ser gelado, o sorvete pode agravar o quadro, se a garganta já estiver infeccionada ou inflamada. “Nessa situação, os vasos sanguíneos se dilatam para ajudar o organismo a combater o problema. Mas, quando ingerimos sorvete ou bebidas geladas, a temperatura cai, dificultando o processo natural de combate ao invasor.”

Tomar “friagem”, chuva ou banho gelado provoca gripe?
Mito. Gripes, resfriados e outros problemas respiratórios são desencadeados por agentes microbianos e não por mudanças de temperatura.“Portanto, se não houver proliferação desses micróbios, seu filho pode sair de casa em uma noite fria e chupar gelo, sem que fique doente", garante Fabíola.

De acordo com a médica, a maior incidência de infecções respiratórias nos meses de inverno é explicada simplesmente pela tendência à aglomeração em lugares com janelas e portas fechadas. Nesses ambientes mal ventilados, a proximidade das pessoas facilita a transmissão de vírus e bactérias, responsáveis por gripes e resfriados.

Sair de um ambiente quente para um muito frio causa resfriado?
Verdade, mas parcialmente. A variação brusca de temperatura não é a causa do resfriado, mas pode tornar o corpo mais suscetível aos micro-organismos que o deflagram. Isso ocorre porque os cílios nasais, que têm a função de filtrar as substâncias que entram no corpo, ficam com dificuldade de movimentação depois de uma variação muito intensa de temperatura. Com os cílios imóveis, é muito mais fácil para os germes se reproduzirem no sistema respiratório, dando início a quadros de gripe e sinusite, entre outros.

Fabíola, porém, ressalta que esse choque térmico só ocorre em situações extremas e não em situações cotidianas, como sair aquecido do banho, da academia ou da sauna e entrar em um ambiente mais frio.


Fonte: revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário