terça-feira, 27 de outubro de 2015

Comer bem na gravidez pode influenciar a alimentação do seu filho

Você sabia que o paladar do bebê começa a ser formado no momento da gestação? Entenda qual é o papel da mãe

Alimentação equilibrada durante a gestação é fundamental para a sua saúde (e a do bebê também)
 (Foto: Thinkstock)

Os hábitos alimentares começam a ser formados muito antes da primeira colherada. Assim como os demais sentidos, o desenvolvimento do paladar tem início na gestação. “Inúmeros estudos mostram que os alimentos consumidos pela gestante interferem na composição do líquido amniótico”, explica a nutróloga Jomara de Araujo, da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). Dentro do útero, segundo a especialista, o filho deglute esse líquido o tempo todo e, quando chegar a hora de comer alimentos sólidos, há chances de demonstrar preferência pelos sabores que já são familiares.

Uma das pesquisas pioneiras no assunto foi realizada no início dos anos 2000 pelo centro de pesquisas Monell Chemical Senses (EUA) com gestantes no último trimestre de gravidez. Os bebês daquelas que beberam suco de cenoura na gestação e durante o aleitamento, mais adiante, aceitaram com mais facilidade as papinhas à base desse vegetal e até faziam menos caretas ao comê-las.
Além disso, tanto o oxigênio quanto os nutrientes chegam até o bebê via fluxo sanguíneo, passando pela placenta e, depois, pelo cordão umbilical. Prova disso é que ele pode reagir ao que você come quase que instantaneamente. Experimente provar um pedaço de chocolate minutos antes de fazer um exame de ultrassom e verá o seu filho se mexer durante toda a consulta – dica dos obstetras, aliás, para facilitar a visualização do sexo do bebê.

“A agitação acontece pela liberação da glicose, substância que dá energia ao organismo”, diz a nutricionista Karine Durães, especialista em gestantes e crianças, de São Paulo. Ela ressalta que a placenta funciona como um filtro para substâncias potencialmente nocivas, do álcool a medicamentos. Mas parte do que é consumido, especialmente se for em excesso, tende a ultrapassar tal barreira. O que só aumenta a importância de manter uma alimentação equilibrada durante toda a gestação.

Esse processo, claro, continua após o nascimento – com a influência de toda a família. De acordo com a nutróloga Jomara, ainda que a alimentação da mãe durante a gestação impacte o início da formação do paladar, as preferências à mesa dependem também da genética e do ambiente em que a criança está inserida. “Nesse contexto, exposições variadas e repetidas (ou seja, um cardápio equilibrado, onde o alimento é oferecido em diferentes refeições) são essenciais para a construção dos hábitos alimentares e para a aceitação dos alimentos”, conclui.


Fonte: revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário