quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Academia Americana de Pediatra divulga novas diretrizes para combate de obesidade infantil

Medidas destacam atitudes preventivas que podem ser tomadas dentro de casa


Não existe fórmula mágica para combater a obesidade infantil. O melhor caminho para vencer a doença continua sendo a combinação de uma dieta saudável, uma rotina de exercício e o apoio total dos pais. É o que sugerem as diretrizes elaboradas pela Academia Americana de Pediatria. O órgão divulgou nesta semana uma série de recomendações para as famílias. Uma delas é prestar atenção na hora das compras no supermercado, quando os itens gordurosos e açucarados devem ser substituídos por alimentos saudáveis. Se for impossível evitar as guloseimas, elas devem ser compradas em quantidades pequenas e mantidas longe do alcance das crianças, “escondidas” no fundo da geladeira ou em topo de armários.

Felipe Lora, endócrino-pediatra do Hospital Infantil Sabará ressalta, porém, que, dependendo da idade da criança, “esconder” não basta. “É mais importante manter à vista e com fácil acesso tudo o que é saudável do que esconder as guloseimas. Por exemplo, deixe frutas já descascadas em lugares que a criança possa alcançar. Sem precisar tirar a casca e lavar, o esforço dela para comer a fruta equivale ao que faria para abrir um pacote de bolacha, o que aumenta a chance da escolha do alimento saudável”, disse.

Fuja das telas
As diretrizes recomendam também que TV’s computadores, vídeo games e aparelhos eletrônicos sejam mantidos fora do quarto das crianças e do ambiente em que a família faz as refeições para evitar grandes períodos de entretenimento sedentário.

O tempo máximo que crianças maiores de 2 anos devem passar de frente para uma tela por dia é duas horas. “Estudos já comprovaram que, quando você se alimenta assistindo TV ou prestando atenção em uma tela, acaba se distraindo e comendo mais, o que contribui para o ganho de peso”, afirma Lora.

Seja o exemplo
Outra recomendação é que os pais sirvam de exemplo de boa alimentação e prática de exercícios para a criança, mesmo que também estejam passando por problemas com o excesso de peso. “O apoio dos pais é essencial para que o filho não só perca peso, mas consiga manter uma rotina saudável ao longo prazo”, diz Lora. Ele conta também que, em muitos casos, quando o pai também resolve fazer uma atividade física com o filho, como academia, os resultados para a criança são vistos de forma bem mais rápida.

Incentive a criança
Apesar de o apoio dos pais ser o estímulo mais importante no combate a obesidade, outra maneira interessante de manter a criança focada em atingir sua meta é encorajando-a a fazer um diário de sua rotina de atividades e refeições. Pais e pediatras podem conversar com a criança para combinar objetivos semanais e definir recompensas que não envolvam comida, como passeios no parque, jogos em família e ir à praia. “Qualquer atitude positiva para incentivar a criança é válida. Mas a eficiência do diário varia muito de paciente para paciente. Não existe lógica absoluta e o melhor é analisar caso a caso”, diz Loras.

Bebidas saudáveis e sono na medida certa
As diretrizes também recomendam que os pais incentivem os filhos a tomarem água, leite e pequenas quantidades de sucos 100% naturais, no lugar de bebidas com muito açúcar como sucos artificiais, hipotônicos e refrigerantes. Além disso, é importante ter certeza de que os pequenos estejam dormindo o suficiente, pois estudos recentes sugeriram uma ligação entre poucas horas de sono e obesidade em crianças, apesar de isso ainda não ser consenso entre a comunidade científica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário