domingo, 13 de janeiro de 2013

Seu filho dorme picadinho?

Saiba o que fazer para que ele volte a dormir tranquilamente depois que acorda no meio da noite
Crescer


Acordar no meio da noite é comum em todas as faixas etárias, de acordo com a nossa pesquisa. A explicação para o motivo que mais tira o sono – literalmente – dos pais é fisiológica. O fato é que todos os seres humanos acordam durante a noite, pois o sono é dividido em ciclos, que duram cerca de 90 minutos e se repetem por até cinco vezes até a hora de acordar. Em geral, dormimos de novo em instantes, sem nem se lembrar no outro dia. Mas até os 10 anos, além de terem um ciclo menor (dura 60 minutos), muitas crianças ainda não aprenderam a voltar a dormir sem ajuda. Se o seu filho está habituado a pegar no sono no seu quarto ou com você ao lado, por exemplo, pode se assustar ao perceber que acordou sozinho na própria cama – daí a importância de ele dormir sem companhia e no quarto dele sempre.

E o que fazer quando ele acordar? Antes de se levantar esbaforido, espere um pouco. Em alguns casos, a criança resmunga mesmo dormindo. Se ela chorar ou chamar, vá até o quarto para ver se está tudo bem. Cheque se não está com xixi ou se não tem frio ou calor. Converse em voz baixa, sem acender a luz. Só pegue-a no colo se o choro não cessar após alguns minutos. Não se preocupe. Isso não é o mesmo que deixá-la chorando no berço até que ele durma novamente, como pregam algumas teorias por aí. “Um minuto de choro não vai causar nenhum trauma mental. Mas estudos mostram que ignorá-lo repetidamente gera estresse e pode minar a autoconfiança da criança”, descreve o pediatra norte-americano Harvey Karp, autor de The Happiest Baby Guide to Great Sleep (O Guia do Bebê mais Feliz para um Bom Sono, em tradução livre, ainda não lançado no Brasil), que é o mais novo volume da série O Bebê Mais Feliz do Pedaço (Ed. Planeta).

Outro artifício que funciona é ensinar o seu filho a dormir com algum objeto de transição – como fazem 34% dos filhos dos pais que participaram da nossa pesquisa. Assim são chamados os brinquedos, fraldas e paninhos que as crianças usam em situações em que se sentem inseguras. Nesse caso, a função deles é dar conforto e substituir a presença dos adultos.


Fonte: Revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário