segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

5 dicas para seu filho aproveitar o máximo do sol


A estação das brincadeiras em quintais, praias, piscinas e parques está prestes a começar. Com ela, chega também uma série de perigos trazidos pelas altas temperaturas e a umidade. Para seu filho não perder a diversão, preparamos uma série de cuidados para as crianças curtirem o verão de forma segura. Nessa primeira reportagem, confira os cuidados que você deve ter com o sol

Amanda Zacarkim e Fernanda Montano



Lá vem o sol... 

DIAS ENSOLARADOS 
O melhor jeito de seu filho se divertir no sol é respeitando os horários adequados de exposição: até às 10 horas e somente após às 16 horas. Se ele for menor de 6 meses, a recomendação é apenas mantê-lo na sombra (mas não somente dentro do carrinho, que pode se transformar em um verdadeiro forno!), com roupa de algodão e chapéu. Já os maiores devem usar também protetor solar de linhas especiais para crianças (que têm menos química na fórmula) com FPS maior ou igual a 30 – e reaplicá-lo de hora em hora e depois de cada mergulho. Não se esqueça de nenhum cantinho do corpo nem dos lábios. “A pele das mucosas é ainda mais sensível. Os bastões hidratantes com FPS podem ser usados desde os 6 meses”, lembra Mário Chaves, médico do Hospital Universitário Pedro Ernesto, da UERJ. 

MUITO LÍQUIDO! 
Vermelhidão da pele, febre, olhos ressecados e tontura são os sintomas mais comuns da insolação, uma desidratação intensa que atinge quem se expôs ao sol por muito tempo. Com o calor excessivo, a criança perde muito líquido pela transpiração e pela urina. Se a quantidade não for reposta, acontece a desidratação, que precisa ser tratada rapidamente e pode causar febre, vômitos e diarreia. “Ofereça muita água e sucos naturais para a criança, várias vezes ao dia, e leite materno para os bebês nos primeiros seis meses, já que ele é suficiente para hidratar”, afirma Darci Bonetto, presidente da Sociedade Paranaense de Pediatria. Se os sintomas já tiverem aparecido, experimente dar soro caseiro (três pitadas de açúcar, uma de sal e 200 ml de água filtrada ou fervida) ou uma solução especial para reidratação, vendida nas farmácias. Caso haja febre ou diarreia intensas, leve seu filho ao hospital no mesmo dia. 

CRIANÇA-PIMENTÃO 
Sim, queimadura de sol existe. Vale lembrar que dias de mormaço, sem sol aparente, também podem ser vilões. Dependendo da gravidade do machucado, pode formar até bolhas. É fundamental procurar ajuda médica, mas há algumas dicas para aliviar o desconforto: 

No banho, lave a pele com sabonete neutro. 

Faça compressas geladas, de chá de camomila ou soro fisiológico, com uma fralda de pano ou gaze. Deixe-a sobre a pele até que fique seca, e então troque, para refrescar. Se possível, faça três vezes ao dia, para ajudar a aliviar o ardor. E jamais estoure uma bolha. Ela funciona como um curativo natural do corpo. 

Não use hidratante ou outro creme – algumas fórmulas podem irritar ainda mais a pele. 

LENTE DE PROTEÇÃO 
Os óculos escuros não são apenas acessórios para deixar os pequenos (ainda mais) fofos. A partir do momento em que a criança consegue andar sozinha, já pode ter o seu par de óculos. Mas nada de camelôs ou modelos sem certificação. “Esses produtos têm lentes que se quebram facilmente, formando pontas. Além de, claro, não possuírem filtros contra os raios ultravioleta”, explica a oftalmologista Andréa Barbosa, diretora da Clínica de Olhos São Francisco (RJ) e integrante do Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Os óculos escuros proporcionam o aumento das pupilas e, sem a película protetora dos raios UV, as portas ficam abertas para que penetre mais radiação. O melhor a fazer é ficar atento à certificação original do fabricante e comprar modelos com 100% de proteção sempre em óticas especializadas. 

BROTO... O QUÊ? 
Brotoeja! A inflamação das glândulas de suor causa coceiras e vermelhidões que aparecem comumente na região do pescoço em dias de calor. São mais frequentes nos bebês pelo constante excesso de roupas, por isso o primeiro cuidado é usar peças leves, deixar o ambiente fresco e esquecer os banhos quentes. “Se a brotoeja já está incomodando seu filho, dê banho morno e coloque na água um pouco de amido de milho, que é um bom calmante natural. Depois, evite hidratantes e protetores oleosos, que podem obstruir ainda mais os poros”, orienta Wellington Furlani, dermatologista da Unifesp (SP).

Fonte:Revista Crescer

Nenhum comentário:

Postar um comentário